PJC por Lacan – Desejo X Consumo

Após ler artigos e livros sobre JACQUES LACAN me chamou demais a atenção sobre o momento que o mundo vive de consumo exagerado, extrapolando a necessidade de consumo e fazendo com que esqueçamos o verdadeiro sentido do que realmente importa o “SER” e não o “TER”.  
Será mesmo que após uma breve análise em nossas casas, precisamos realmente de tudo o que compramos? Ou grande parte das coisas que compramos, não serve apenas para nos remediar de algumas culpas, escrevi sobre isso faz pouco tempo, ou talvez para satisfazer a necessidade de se fazer o que se espera de nós?              

 

O mestre Lacan

 

Já passou da hora de entendermos que, todo o nosso consumo, produz poluição na  produção dos produtos e vira resíduos após o consumo, que irão poluir o nosso meio ambiente. Assim, venho chamar os leitores para uma reflexão sobre este tipo de consumo e sua relação com o DESEJO.

O DESEJO é a essência da realidade e a essência da realidade é a falta de algo, o ser humano sempre está e estará insatisfeito consigo mesmo, buscando sempre algo para suprir esta falta que não sabemos explicar, isto se torna mais evidente quando vamos às compras numa tentativa de nos compensar, talvez por algo que  deixamos de fazer pelo outro ou por nós mesmos, acreditando que ao comprarmos sem controle, estaremos preenchendo este vazio, que nos complete, que possa trazer felicidade as tristes vidas humanas.
Normalmente estamos presos ao DESEJO do outro, do sistema, da falta de algo e enquanto isto ocorrer jamais seremos livres, o que só acontecerá quando o DESEJO é seu e ao desejar não exista o sentimento de culpa por desejar.

O Consumo desenfreado e seus sintomas


LACAN é de uma complexidade enorme, difícil de entender mas acredito que este texto é importante nesta hora, tento traduzir o mesmo na esperança de trazer luz antes de consumir, de assumir o discurso capitalista, pergunte-se, este DESEJO é meu? Ou será do outro? Ou do sistema que nos faz sentir mal, por não estarmos consumindo sem necessidade, é nesse momento que é preciso ter mais cautela e se perguntar “Eu realmente preciso disso?” Comprando desenfreadamente pode-se parecer estar feliz, mas na verdade, se estará fazendo aquilo que se espera, seguindo o DESEJO do outro ou do sistema, agindo assim não se é livre, não se é feliz de verdade.

Espero que vocês pensem sobre o que LACAN quis dizer e se utilizem disto para melhorar a qualidade de vida de cada um e consequentemente ajudando o planeta, poluindo menos.
Saudações ecológicas
Agindo local, pensando global!
Carlos Avel!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s