PJC – Universo Líquido

O PJC vai desvendar os mistérios dos oceanos, margens dos mangues à beira mar e ao alcance de todos nós. Usado como berçário por várias espécies e área de alimentação para aves migratórias e terminando a 11.035 metros de profundidade na Fossa Marianas no Pacífico Sul, o caminho da praia até o ponto mais remoto do mundo abissal, onde até hoje somente três seres humanos chegaram, é povoado por seres que se adaptaram à luminosidade e fontes de alimentos a disposição.
Vamos dividir os mares em 05 zonas.
1. Superfície, até 150 metros, conhecida como zona epipelágica, área onde a luz consegue penetrar e a água ainda é quente, entre 20° e 30° C nos recifes de corais, nesta área grandes peixes e mamíferos se fazem presentes, como a luz consegue chegar, algas que fazem fotossíntese podem ser encontradas.
Sujeita aos movimentos oceânicos, como ondas, marés a troca de oxigênio ocorre constantemente.

Zona Epipelágica 

 

2. Zona de meia luz, entre 150 e 1.000 metros de profundidade, também chamada de camada mesopelágica, nesta área a temperatura da água cai drasticamente para 6°C em média e a luminosidade é bem pequena, a pressão aumenta enquanto diminuem os níveis de oxigênio da água e dos nutrientes, nesta área começam a ser observadas espécies com luz própria

Meia Luz

 

3. Águas profundas, até 4.000 metros de profundidade, completa escuridão, temperatura em média de 3°C, alta pressão, baixo nível de oxigênio e nutrientes, caracterizam esta camada do oceano de batipelágica, é aqui que se encontram as espécies mais bizarras da Terra, as fontes de alimento vem das zonas superiores, restos de animais mortos, minerais e nutrientes que chegam ao fundo.

Zona Batipelágica

 

4. Zona Abissal, Com ausência total de luz e temperatura da água próxima de 0°C, acreditava-se que não havia vida nesta camada, mas hoje em dia já se sabe que existem algumas espécies que habitam esta área chamada de abissopelágica, áreas mais profundas do oceano e hadalpelágica, interior das fossas abissais. Ponto mais profundo da Terra, onde se localiza a Fossa das Marianas, nas ilhas Marianas, com 11.035 metros de profundidade.


Zona Abissal

 

5. Fontes hidrotermais são rachaduras no leito oceânico, onde a água penetra profundamente, aquecida pela proximidade com o magma interior da Terra, ela retorna na forma de vapor negro, rico em minerais e substâncias químicas que se espalham pelo fundo, em razão disso criam-se fontes de alimentos e uma nova cadeia alimentar, bactérias se alimentam destas substâncias que por sua vez servirão de alimento para pequenos animais que servirão de alimentos para animais maiores.

Fontes Hidrotermais

 

Saudações Ecológicas
Agindo local, Pensando global!
Carlos Avel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s